Menu Principal

Portais

Meses Anteriores

Anos Anteriores

Posts Tagged ‘Pós-graduação’

Curso de Pós-graduação Lato Sensu “Relações Etnicorraciais e Educação: Uma Proposta de (Re)Construção do Imaginário Social”: Divulgação de EDITAL

Publicada em 5 de janeiro de 2011

Encontra-se aberto o edital do processo seletivo para o Curso de Pós-graduação Lato Sensu “Relações Etnicorraciais e Educação: Uma Proposta de (Re)Construção do Imaginário Social” no CEFET/RJ, destinado a docentes, psicólogos, orientadores educacionais, administradores e demais profissionais habilitados para atuar na Educação Básica e/ou profissionais de áreas afins, portadores de diploma de curso superior completo compatível com a área de atuação e reconhecido por órgão competente.

As inscrições serão realizadas na secretaria da Diretoria de Pesquisa e Pós-Graduação do Centro, no período de 07/02/2011 a 11/02/2011, entre 8h e 16h. A Secretaria da DIPPG localiza-se na Avenida Maracanã, 229 – Bloco E-506 – Telefone (021) 2566-3179.

O curso é gratuito e o edital encontra-se disponível na página da Coordenadoria dos Cursos de Pós-Graduação Lato Sensu (COLAT).

Acesse aqui.


Curso de Pós-Graduação Lato Sensu em “Letramento(s) e Práticas Educacionais” no CEFET/RJ: Divulgação de EDITAL

Publicada em 4 de janeiro de 2011

O CEFET/RJ divulga o edital de abertura do processo seletivo para sua primeira turma de especialização na área de Estudos da Linguagem.

O curso “Letramento(s) e Práticas Educacionais” é totalmente gratuito e tem como objetivo geral promover capacitação para educadores de diferentes áreas de conhecimento, visando à formação crítica de profissionais e cidadãos atuantes e conscientes da complexidade das interações sociais que marcam a vida contemporânea e, particularmente, dos significados que a leitura e a escrita assumem nesse contexto.

O curso oferece 35 vagas e os candidatos deverão realizar as inscrições presencialmente na secretaria da Diretoria de Pesquisa e Pós-Graduação (DIPPG), no período de 03/02/2011 a 17/02/2011. As inscrições são gratuitas e a prova escrita será realizada em 23/02/2011.

O edital encontra-se disponível na página da Coordenadoria dos Cursos de Pós-Graduação Lato Sensu (COLAT).

Acesse aqui.


Processo Seletivo para os Cursos de Educação a Distância para o polo de Campo Grande: Resultado

Publicada em 3 de dezembro de 2010

Divulgado o resultado da seleção de alunos para o curso de pós-graduação em educação tecnológica no polo de Campo Grande.


CEFET tem novo Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu aprovado pela CAPES

Publicada em 10 de novembro de 2010

O CEFET/RJ teve mais um Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu aprovado pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes/MEC). Trata-se do Programa de Pós-Graduação em Relações Etnicorraciais.

As propostas de cursos novos de 2010 foram analisadas e recomendadas durante a 122ª Reunião do Conselho Técnico-Científico da Educação Superior (CTC-ES), no período de 25 a 29 de outubro, em Brasília. O resultado está disponível na página da Capes.

O novo curso de Mestrado Acadêmico do Programa de Pós-Graduação em Relações Etnicorraciais do CEFET/RJ, da Área Interdisciplinar – Sociais e Humanidades, terá suas atividades iniciadas em 2011. A Instituição, que passa a contar com seis Programas de Pós-Graduação Stricto Sensu, teve aprovados pela Capes quatro novos programas stricto sensu acadêmicos nos últimos quatros anos:

  • 2007: Programa de Pós-Graduação em Engenharia Mecânica e Tecnologia de Materiais;
  • 2008: Programa de Pós-Graduação em Engenharia Elétrica;
  • 2009: Programa de Pós-Graduação em Ciência, Tecnologia e Educação;
  • 2010: Programa de Pós-Graduação em Relações Etnicorraciais.

Acesse aqui para obter informações sobre os Programas de Pós-Graduação do CEFET/RJ em funcionamento


Processo Seletivo para os Cursos de Educação a Distância: Edital complementar. Prorrogação de inscrições

Publicada em 20 de setembro de 2010

Divulgado o Edital Complementar ao edital nº 008/2010 que prorroga as inscrições relativas ao processo seletivo para o Curso de Pós-graduação Lato Sensu: Especialização em Educação Tecnológica na modalidade a distância, a serem realizadas nas secretarias dos Polos CEDERJ de Campo Grande e Macaé, conveniados com a Universidade Aberta do Brasil (UAB).


Pós-graduação: Qualidade dos cursos de mestrado e doutorado evolui entre 2007 e 2010

Publicada em 15 de setembro de 2010

A pós-graduação no Brasil avançou. Avaliação feita pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), divulgada nesta terça-feira, 14, mostra que a qualidade dos cursos de mestrado e doutorado melhorou nos últimos três anos. Além disso, o número de periódicos publicados cresceu, bem como a quantidade de alunos titulados.

A avaliação da pós-graduação stricto sensu da Capes é realizada a cada três anos, com atribuição de notas que vão de 1 a 7. Este ano, 112 programas receberam a nota máxima, que equivale ao alto padrão internacional. Outros 75 ficaram com as notas mínimas. Os que obtiveram pontuação baixa têm prazo de um mês para entrar com recurso. Se forem mantidas as notas 1 e 2, serão descredenciados.

Na comparação entre a avaliação trienal de 2010 e a anterior, 19% dos cursos conseguiram aumento nas notas e 71% a mantiveram. O número de alunos que receberam títulos de mestre e doutor chegou a 139 mil. O total de publicações científicas foi de 300 mil entre 2007 e 2010.

“Há 40 anos, havia perspectiva de desenvolvimento da pós-graduação no Brasil diferente da que existe hoje. O país já ganhou respeito no exterior na área da produção científica”, afirmou o presidente da Capes, Jorge Guimarães. “O Brasil está em 13º lugar no ranking da produção científica mundial. A expectativa é alcançar a 9ª ou a 10ª posição nos próximos anos.”

O número de cursos de mestrado e doutorado avaliados cresceu 20,8% em relação a 2007. Este ano, foram avaliados 2.718 programas, que correspondem a 4.099 cursos de mestrado acadêmico, mestrado profissional e doutorado. O maior crescimento de cursos avaliados foi verificado na região Norte (35,3%). O Nordeste vem logo em seguida (31,3%).

Na visão de Guimarães, a avaliação da Capes ajuda as instituições a melhorar a qualidade dos cursos que oferecem e dá aval a ações de outras agências de fomento à pesquisa. O resultado completo da avaliação está disponível na página da Capes.

Fonte: Portal  MEC


Apoio a Projetos de Pesquisa Institucionais a serem Desenvolvidos nas UnEDs: EDITAL

Publicada em 14 de maio de 2010

A Diretoria de Pesquisa e Pós-Graduação (DIPPG) e o Departamento de Pesquisa (DEPEQ) estão lançando o Edital de Apoio a Projetos de Pesquisa Institucionais a serem Desenvolvidos nas UnEDs (APP-UnEDs 2010).  O edital tem como objetivo promover e incentivar a realização de atividades de pesquisa no sistema CEFET/RJ e irá disponibilizar um total de recursos financeiros de R$ 390.000,00 para auxiliar a realização de pesquisa nas Unidades de Ensino Descentralizadas (UnEDs) do sistema CEFET/RJ.

Datas

EVENTO DATA
Lançamento do Edital 17/05/2010
Data limite para envio das propostas 18/06/2010
Divulgação dos resultados 25/06/2010
Prazo para interposição de recursos quanto aos Resultados 29/06/2010

Acesse aqui o Edital APP-UnEDs 2010


III Simpósio Internacional Trabalho, Relações de Trabalho, Educação e Identidade: DIVULGAÇÃO

Publicada em 22 de abril de 2010

O III Simpósio Internacional, Trabalho, Relações de Trabalho, Educação e Identidade, que será promovido de 17 a 21 de maio em Belo Horizonte, contará com cinco minicursos gratuitos que emitirão certificados para aqueles que realizarem a inscrição no evento. Os minicursos serão ministrados por professores estrangeiros convidados e por duas professoras da UFMG, a Profa. Dra. Eliza Echternacht (UFMG-Engenharia de Produção) e Profa. Dra.Vanessa Barros (UFMG-Labtrab/Fafich).

O Simpósio tem como eixo de trabalho sete conferências que tratarão de temas como “Perspectivas da Educação e Formação Profissional no Brasil”, “Trabalho, Competência e Reconhecimento”, “Formação e Profissão Docente”, “Trabalho, Educação e Cidadania” entre outros. A submissão de trabalhos foi prorrogada até 12 de abril, e as inscrições para participação como ouvintes estarão abertas até 16 de maio.

O evento contará com a presença confirmada de docentes europeus e brasileiros como o Prof. Dr. Gaudêncio Frigotto (UFF e UFRJ), o Prof. Dr. Manuel Ferraz Lorenzo (Universidade La Laguna-Espanha), o Prof. Dr. Marc Loriol, (Université Paris I – Panthéon-Sorbonne) e o Prof. Dr. Guy Jobert (Universidade de Genebra e CNAM Paris-França).

O Simpósio terá oito Grupos de Trabalhos, nos quais serão apresentados artigos e pôsteres de pesquisadores, professores e alunos da pós-graduação de departamentos do CEFET-MG, UFMG, UEMG e UFOP e de outras instituições brasileiras.

Será, ainda, promovida pela UFOP, em Mariana, uma Roda Vida sobre “Formação inicial e Trabalho docente”, que apresenta como foco de discussão as questões sobre formação inicial no âmbito das licenciaturas e a inserção no campo de trabalho.

No CEFET-MG, a responsabilidade pela organização do Simpósio é do Prof. Antônio de Pádua Nunes Tomasi, líder do grupo de pesquisa Programa de Estudos em Engenharia, Sociedade e Tecnologia (PROGEST) e professor do Mestrado em Educação Tecnológica do CEFET-MG.

Acesse o site www.sitre.cefetmg.br para conferir a programação completa e fazer a sua inscrição no evento.

Atendendo a pedidos houve uma nova prorrogação na data limite para a submissão de trabalhos aos GT’s – agora o prazo máximo vai até o dia 22 de abril.


Pós-graduação: Coleta de dados sobre cursos antecede avaliação trienal

Publicada em 10 de fevereiro de 2010

A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) deu início esta semana à coleta de informações sobre cursos de mestrado, doutorado e mestrado profissional integrantes do Sistema Nacional de Pós-Graduação. A iniciativa subsidia a avaliação dos cursos de pós-graduação feita pela Capes a cada três anos.

O prazo de encerramento da coleta vai se estender até 12 de março, como estabelece a Portaria nº 5, de 8 de janeiro de 2010. Os programas de pós-graduação contam com profissionais nas instituições de ensino para auxiliar o processo de preenchimento do sistema de coleta de dados. Os integrantes do grupo de apoio ajudam os coordenadores dos programas nessa tarefa.

Este ano haverá a avaliação trienal, com atribuição de notas a todos os cursos de pós-graduação stricto sensu do país. Como consequência, o calendário tem prazos restritos para as várias etapas de coleta de informações, verificação da integridade das mesmas e certificação do banco de dados. Pelas previsões, serão avaliados mais de 4,2 mil cursos em 2,7 mil programas, com a participação de 900 consultores.

Fonte: Portal MEC


Processo seletivo para o curso de pós-graduação lato sensu: Relações etnicorraciais e educação – Edital

Publicada em 22 de janeiro de 2010

Com muita satisfação, o Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca (CEFET/RJ) publica o edital de seleção de candidatos à segunda turma do curso de pós-graduação lato sensu “RELAÇÕES ETNICORRACIAIS E EDUCAÇÃO: UMA PROPOSTA DE (RE)CONSTRUÇÃO DO IMAGINÁRIO SOCIAL”.

Download do Edital

Mais informações podem ser encontradas no site da Diretoria de Pesquisa e Pós-Graduação, na página dos cursos de pós-graduação Lato Sensu.

Lembramos que o curso é TOTALMENTE GRATUITO.


Bolsas de pós-graduação na Espanha

Publicada em 5 de janeiro de 2010

A Fundação Carolina anunciou a abertura de processo seletivo para 1.645 bolsas para estudantes de países ibero-americanos interessados em cursar pós-graduação na Espanha. As inscrições, na maior parte dos casos, estarão abertas até o dia 1º de março. A iniciativa do governo espanhol oferece auxílio financeiro que varia de acordo com cada modalidade. As bolsas são voltadas para praticamente todas as áreas do conhecimento.

Das 1.645 bolsas, 1.092 são para estudos de pós-graduação, 248 para doutorado ou pesquisas de curta duração e 252 para a formação permanente. Esta última modalidade é direcionada exclusivamente a latino-americanos e espanhóis.

O processo seletivo consiste em análise de currículo e entrevistas pessoais. As avaliações serão feitas por uma comissão julgadora, composta por integrantes da Fundação Carolina e das universidades que oferecem os cursos.

São quatro os programas de estímulo à formação da Fundação Carolina: Bolsas de Pós-Graduação, Bolsas para Doutorado e Pesquisas de Curta Duração, Bolsas de Formação Permanente e Auxílios para Pesquisa.

Mais informações: http://gestion.fundacioncarolina.es

Fonte: Agência FAPESP


Pós-graduação: Avanço depende do equilíbrio regional na oferta de cursos

Publicada em 27 de novembro de 2009

Um dos maiores desafios da educação superior brasileira é mudar o mapa da pós-graduação para superar as desigualdes regionais. Essa é uma das diretrizes para o avanço do setor apontadas na abertura do seminário Preparando a Avaliação, na quarta-feira, dia 25, em Brasília.

De acordo com o diretor de avaliação da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), Lívio Amaral, enquanto São Paulo conta com 650 programas de pós-graduação, estados das regiões Norte e Nordeste não chegam a ter dez cursos. Isso influi diretamente na produção técnico-científica brasileira. “Mais cursos significam mais produção de conhecimento e de ciência e tecnologia”, afirmou.

Em uma exposição sobre o sistema nacional de pós-graduação, Amaral mostrou como o Poder Público ainda é o principal responsável pela pós-graduação no país. As instituições federais e estaduais são responsáveis por mais de 80% da oferta de cursos de mestrado e doutorado.

Avaliação — “A avaliação tem apenas um critério: desempenho máximo. Curso bom tem autocobrança”, afirma o presidente da Capes, Jorge Guimarães, ao definir o processo de aferição. “O curso deve formar bem os estudantes. Não adianta apenas um excelente grupo de pesquisa.”

Para Guimarães, do encontro devem ser extraídos dados e informações que fundamentem um novo plano nacional de pós-graduação.

O seminário, que se estenderá até esta sexta-feira, 27, é composto por apresentações sobre áreas como ciências exatas, linguística, letras e artes. Em cada uma das apresentações é feita uma síntese da área, com o número de programas e a expectativa de crescimento para os próximos anos. Participam do encontro os coordenadores de todas as 46 áreas do conhecimento.

O encontro é visto por Lívio Amaral como uma oportunidade para debater e atualizar vários aspectos da avaliação trienal no próximo ano. “A avaliação só continuará sendo esse patrimônio construído coletivamente se tivermos a capacidade de realizá-lo com transparência”, disse.

A cada três anos, a Capes avalia todos os cursos de pós-graduação stricto sensu do país. Em 2010, serão aferidos mais de quatro mil cursos de mestrado e doutorado. A avaliação abrange termos de proposta, corpos docente e discente, inserção social, teses, dissertações e produção intelectual.

Saiba mais sobre a avaliação trienal na página eletrônica da Capes.

Fonte: Portal MEC


Exame Nacional para Ingresso na Pós-Graduação em Computação (POSCOMP)

Publicada em 24 de setembro de 2009

No próximo domingo (27/09), das 09:00 até as 13:00, o CEFET/RJ será local de aplicação do POSCOMP. O POSCOMP é um exame de nível nacional para admissão a instituições de pós-graduação lato sensu. Mais detalhes poderão ser obtidos no portal da Sociedade Brasileira de Computação.

Eduardo Bezerra
Coordenador do Curso Superior de Tecnologia em Sistemas para Internet


Política educacional: Governo quer incentivar pós-graduação em engenharia

Publicada em 21 de setembro de 2009

A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) quer incentivar a pós-graduação em engenharias. O tema foi discutido no encontro da diretoria da instituição com o Conselho Pleno da Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes), nesta quinta-feira, 17. Os diretores apresentaram os mais recentes programas e iniciativas da Capes e ouviram questões dos reitores de universidades federais de todo o país.

De acordo com o presidente da Capes, Jorge Guimarães, há desequilíbrio entre as áreas do conhecimento, especialmente no que se refere às ciências exatas. “Estamos preocupados com o fato de que apenas 11% dos cursos de pós-graduação são de engenharias”, afirmou.

“Colocamos a engenharia como prioridade, pois é um segmento que gera emprego, desenvolvimento e, consequentemente, renda”, explica Guimarães.

Para o presidente da Capes, a razão da defasagem na formação superior nas exatas tem origem na educação básica, que não forma professores para áreas como matemática, física e química, em número e qualidade suficientes. “A Capes possui hoje dois grandes desafios: formação em engenharias e educação básica. E as duas coisas estão interligadas”, explicou.

Assimetria regional – O debate sobre a distribuição regional dos recursos mostra que ainda há um grande desequilíbrio entre as regiões brasileiras. Segundo o diretor de Programas e Bolsas no País, Emídio Cantídio “é preciso ações assimétricas para diminuir as assimetrias”, ao comentar os esforços da Capes em fomentar a pós-graduação nas regiões Norte e Centro-Oeste do País.

Conheça o Pró-engenharias, a Universidade Aberta do Brasil e o Plano Nacional de Formação de Professores.

Fonte: Portal MEC


O NEAB do CEFET/RJ teve seu Projeto selecionado para o programa UNIAFRO 2010

Publicada em 16 de setembro de 2009

O Núcleo de Estudos Afro-Brasileiros do CEFET/RJ (NEAB CEFET/RJ) teve seu Projeto de Formação de Professores (Pós-Graduação Lato Sensu) selecionado para o programa UNIAFRO 2010 (MEC).

Cabe ressaltar que o edital foi aberto para mais de 70 universidades públicas brasileiras onde há Núcleos de Estudos Afro-Brasileiros, das quais foram selecionados 15 projetos de Formação de Professores e um de confecção de material didático.

Em 2010, a Pós-Graduação em Relações Étnicorraciais e Educação, que já funciona com sucesso desde o início deste ano, passará, pois, a contar com os recursos do Governo Federal destinados ao Programa de Ações Afirmativas para a População Negra nas Instituições Federais e Estaduais de Educação Superior.


Processo de Seleção de Propostas de Projetos Pedagógicos de Cursos de Pós-Graduação Lato Sensu: EDITAL

Publicada em 15 de setembro de 2009

Divulgado o edital para o processo de seleção de propostas de projetos pedagógicos de cursos de pós-graduação lato sensu.

Download do arquivo em formato pdf. (Tamanho 75KB)


Pós-graduação: Melhores teses de doutorado do país recebem premiação

Publicada em 23 de julho de 2009

Eduardo Nakamura recebe prêmios por sua tese de destaque (Foto: Fabiana Carvalho)A tese Fusão de Dados em Redes de Sensores sem Fios foi uma das três vencedoras do Grande Prêmio Capes de Teses.  O trabalho foi selecionado como o melhor da área de ciências exatas e da terra. A cerimônia de premiação ocorreu na noite de quarta-feira, dia 22, na sede da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), em Brasília.

“Estudei como medir qualquer tipo de grandeza, como temperatura, umidade ou velocidade do vento”, explicou o autor, Eduardo Freire Nakamura. “Com os dados, é possível, por exemplo, monitorar níveis perigosos de gases na atmosfera, a quantidade de poluentes num rio ou detectar incêndios em florestas”, exemplificou.

Além do trabalho de Nakamura, que defendeu a tese no programa de pós-graduação de ciência da computação da Universidade Federal de Minas Gerais, outros dois foram premiados. Na área de ciências humanas, ciências sociais aplicadas e linguística, letras e artes, o vencedor foi Sérgio Adas, da Universidade de São Paulo, com O campo do Geógrafo: Colonização e Agricultura na Obra de Orlando Valverde (1917-1964); na de ciências da saúde e agrárias, Rogério de Castilho Jacinto, da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), campus de Piracicaba, com Relação da Sintomatologia com a Presença de Microorganismos e Endotoxinas em Canais Radiculares com Necrose e Suscetibilidade Antimicrobiana de Bactérias Anaeróbicas Estritas.

Na cerimônia, também receberam prêmios 38 teses de destaque em cada área do conhecimento.

Para o ministro da Educação, Fernando Haddad, a excelência do ensino de pós-graduação deve se traduzir na educação básica. “Para que a pós-graduação continue a avançar, precisamos dar atenção semelhante aos estágios iniciais da educação”, disse.

Haddad lembrou os desafios da nova Capes, que assumiu, em 2007, a tarefa de formação de professores da educação básica. “Agora, lançamos a plataforma Paulo Freire, que oferece oportunidades de formação inicial e continuada a todos os professores da educação básica”, destacou. Serão aproximadamente 300 mil ingressos de professores sem formação superior em licenciaturas até 2011. As inscrições para as vagas de 2009 estão abertas até 31 de julho. “A comunidade científica precisa assumir, com a Capes, o compromisso de melhorar a qualidade da educação básica.”

Foram premiadas 38 teses de cada área do conhecimento, com medalhas e certificados da Capes (Foto: Fabian Carvalho)Premiação – O Grande Prêmio Capes de Teses selecionou os três melhores trabalhos entre os 38 escolhidos pelo Prêmio Capes, que é outorgado ao melhor trabalho selecionado em cada uma das áreas do conhecimento. O Grande Prêmio é entregue à melhor tese escolhida nos grupos de grandes áreas – ciências biológicas, ciências da saúde e ciências agrárias; engenharias e ciências exatas e da terra; e ciências humanas, lingüística, letras e artes e ciências sociais aplicadas, bem como na área de ensino de ciências.

Os ganhadores do Prêmio Capes receberam medalha, certificado e bolsas de pós-doutorado. Os vencedores do Grande Prêmio receberam ainda US$ 15 mil oferecidos pela Fundação Conrado Wessel.

Saiba mais sobre os ganhadores e os prêmios na

Fonte: Portal MEC


Pós-graduação: Ministro participa da entrega do prêmio Capes de teses

Publicada em 21 de julho de 2009

O ministro da Educação, Fernando Haddad, participa nesta quarta-feira, dia 22, em Brasília, da cerimônia de entrega da terceira edição do Prêmio Capes de Teses e do Grande Prêmio Capes de Teses. Serão premiados 38 autores das melhores teses de doutorado defendidas em 2007 nas diversas áreas do conhecimento. A solenidade terá início às 18h, no edifício-sede da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), no Setor Bancário Norte.

Das 38 teses do Prêmio Capes, três foram selecionadas para o Grande Prêmio nas grandes áreas de ciências da saúde, ciências exatas e da terra, e ciências humanas. Os prêmios foram instituídos em 2005 para distinguir as melhores teses de doutorado defendidas e aprovadas em cursos reconhecidos pelo Ministério da Educação, considerados os quesitos originalidade e qualidade.

O Prêmio Capes é outorgado ao melhor trabalho selecionado em cada uma das áreas do conhecimento. O Grande Prêmio, à melhor tese escolhida nos grupos de grandes áreas — ciências biológicas, ciências da saúde e ciências agrárias; engenharias e ciências exatas e da terra; e ciências humanas, lingüística, letras e artes e ciências sociais aplicadas, bem como na área de ensino de ciências.

Mais informações pelo telefone (61) 2104-8860 ou no endereço eletrônico premiocapes@capes.gov.br

Fonte: Portal MEC


Pesquisa traça um diagnóstico detalhado da realidade da pós-graduação stricto sensu fluminense

Publicada em 3 de julho de 2009

Divulgação

Dos 334 programas de pós-graduação do estado, mais
de 60% estão avaliados com conceitos 3 e 4 pela Capes

Entre o final da década de 1990 até 2008, houve um aumento de quase 100% no número de programas de pós-graduação fluminenses. Com 334 programas de pós-graduação, em 41 instituições, o estado do Rio de Janeiro fica em segundo lugar em número de cursos no país, cabendo a primeira colocação a São Paulo. Mas além de evidenciar a concentração desses programas na região Sudeste, esses números também apontam a permanência de certas assimetrias entre as regiões, que preocupam pesquisadores e também as agências de fomento. Para mapear toda essa realidade acadêmica, foi realizada, em parceria entre a FAPERJ e a Escola Nacional de Saúde Pública (ENSP), da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), a pesquisa “Diagnóstico Institucional dos Programas de Pós-Graduação do Estado do Rio de Janeiro, coordenada pela pesquisadora Marilene de Castilho Sá.

Uma das razões para essas assimetrias entre as regiões é, sem dúvida, a concentração dos investimentos públicos federais que, historicamente, privilegiaram instituições onde os recursos humanos e a infraestrutura já atingiram índices de capacidade elevados. “Tal política não só inviabiliza o crescimento de áreas tradicionalmente importantes em regiões menos favorecidas economicamente, como também o aparecimento de novos programas em novas áreas do conhecimento. É importante destacar ainda que essas distorções também se repetem no interior de uma mesma região ou estado, exigindo, para seu enfrentamento, um maior protagonismo das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (FAPs) e o aprofundamento do conhecimento das realidades acadêmica, gerencial e de infraestrutura de cada um dos programas e das instituições que os oferecem”, frisa a pesquisadora.

Ela também acredita que a necessidade de adequar o modelo nacional de pós-graduação às realidades regionais, estaduais e institucionais é uma das certezas que permeia o entendimento das agências de fomento. “A viabilidade da flexibilização do modelo, sem pôr em risco a qualidade dos programas, pressupõe igualmente o aprofundamento do conhecimento e a melhoria da qualidade da informação disponível sobre os programas, o que possibilitaria uma melhor política indutora, bem como facilitaria a criação de redes e parcerias institucionais na pesquisa e na pós-graduação”, avalia.

A pesquisa focou o universo dos programas credenciados pela Capes até julho de 2008, que no estado do Rio de Janeiro totalizam 334, englobando 283 cursos de mestrado acadêmico, 50 de mestrados profissionais e 193 cursos de doutorado. Os dados foram obtidos diretamente junto aos dados disponibilizados pela Capes e por meio de um inquérito realizado nos meses de julho, agosto, setembro e outubro de 2008, por questionário eletrônico, através da web. Além disso, foram realizadas entrevistas com um grupo de coordenadores de programas de diversas áreas de conhecimento e diversas situações quanto à sua avaliação na Capes. Desta forma, a pesquisa procurou obter dados não apenas sobre as características acadêmicas, capacidade de produção e condições gerenciais e de infraestrutura dos programas, mas também avaliar as tendências e desafios que estão postos para a pós-graduação no estado.

 

Divulgação/ENSP
Marilene: diagnóstico da
pós-graduação no estado

Em seus resultados preliminares, levantou-se um quadro bastante acurado dessa realidade. A pós-graduação stricto sensu teve início na década de 1960. Dos cursos atualmente em funcionamento, os mais antigos são os de mestrado em Matemática do Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada (Impa) e em Odontologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), ambos iniciados em 1960; em 1962, surgiram os cursos de doutorado em matemática do Impa, em Física do Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas (CBPF) e Ciências (Microbiologia) da UFRJ. A distribuição dos programas atuais, por ano de início, demonstra que 10,78% foram criados na década de 60, 20,06% na década de 70, 7,49% na década de 80, 20,96% na década de 90 e 40,72% desde 2000 até julho de 2008.

“Os programas mais bem conceituados estão nas universidades e centros de pesquisa federais, que detêm 56% daqueles avaliados com conceito 5 na Capes; 75% dos que têm conceito 6; e 76,47% com conceito 7, situação que as coloca com maior facilidade de captação de recursos, investimentos esses que, em grande parte, também são federais”, fala a pesquisadora. Em segundo lugar na oferta de cursos com conceito 5, 6 e 7 (29,33%, 15,63% e 23,53% respectivamente) estão as universidades particulares, destacando-se a atuação da Pontifícia Universidade Católica (PUC). As estaduais não contam com nenhum curso avaliado com conceito 7, contando com 14,67% dos qualificados com conceito 5 e com 9,38% com conceito 6.

“No último triênio (2004-2006) de avaliação pela Capes, não houve crescimento dos programas com conceitos 6 e 7. Os cursos avaliados com conceitos 3 e 4 totalizam mais de 60% da pós-graduação fluminense. Este quadro apresenta não só os efeitos da intensificação no número de novos programas, que em geral iniciam com conceitos mais baixos, mas também parece refletir um aumento no nível de exigência e um maior rigor nos critérios de avaliação da Capes, resultando em maiores desafios para que os programas sejam classificados em níveis de excelência e também, eventualmente, gerando a reclassificação de programas em conceitos mais baixos do que os que se encontravam anteriormente”, avalia.

“Até 2008, dos cerca de 7.000 projetos de pesquisa em andamento informados, o maior número deles foi ou está sendo desenvolvido nos programas mais bem conceituados, segundo a classificação da Capes. São também esses programas que conseguem maior captação de recursos financeiros, o que é esperado, dado a alta qualificação de seus quadros de docentes e grupos de pesquisa. No entanto, isso pode estar cristalizando uma situação e fazendo com que essa distorção se perpetue”, sinaliza Marilene.

Quando se considera a distribuição dos projetos de pesquisa por conceito do programa, segundo a origem do financiamento, observa-se que a proporção de projetos com financiamento exclusivamente externo cresce conforme o conceito dos programas aos quais se vinculam. Enquanto apenas 45% dos projetos vinculados a programas com conceito 3 são financiados exclusivamente com recursos externos, 87% dos projetos vinculados a programas com conceito 7 têm os recursos externos como fonte exclusiva de financiamento. “Esta situação, se pode estar refletindo, por um lado, o nível de excelência e a consequente capacidade de captação de recursos dos pesquisadores vinculados aos programas de conceito mais elevado, por outro lado sinaliza para a necessidade de se discutir estratégias de promoção de maior eqüidade nas políticas de fomento à pesquisa e às pós-graduações, de modo a contribuir para o fortalecimento de programas e grupos de pesquisa emergentes”, explica a pesquisadora.

Segundo Marilene, ao lançar editais, as agências de fomento também estão pautando a agenda temática de investigação de pesquisas. É outra assimetria que vem preocupando cientistas e órgãos financiadores. “No caso da FAPERJ, os pesquisadores apontam uma tendência maior de abertura tanto para abranger áreas mais diversas quanto para incluir programas emergentes, que já alcançam 71% dos recursos”, fala a pesquisadora.

Os números que descrevem a situação da pós-graduação fluminense serão complementados no final de julho, quando Marilene concluir a segunda etapa do trabalho: a análise completa dos dados coletados, inclusive das inúmeras entrevistas que realizou com coordenadores de programas das diversas áreas do conhecimento. Todo o material coletado e a análise preliminar dos dados está disponível no site da FAPERJ e em CD, com um diagnóstico institucional dos programas de pós-graduação do Estado, que contam ainda com as imagens das instalações de cada uma das instituições pesquisadas, de suas bibliotecas e laboratórios. “Desta forma, pretendemos apontar indícios que respondam às perguntas formuladas inicialmente e contribuir para nortear as políticas de fomento do estado.”

O diretor-presidente da FAPERJ, Ruy Garcia Marques, grande entusiasta da idéia desta pesquisa, destaca o fato do Estado do Rio de Janeiro se constituir em um caso privilegiado para o estudo da diversidade de realidade da pós-graduação brasileira: “Isto se deve ao número de programas que o Estado abriga e a grande variedade, englobando todas as áreas do conhecimento, em diferentes tipos de instituições e missões (desde as instituições de ensino superior aos institutos especializados, sem cursos de graduação) e à sua dependência administrativa (estadual, federal e particular)”

Ruy Marques elogia o trabalho desenvolvido pela Dr.ª Marilene de Castilho Sá: “Desde o início, vimos mantendo contato com a Dr.ª Marilene e acompanhamos o grande trabalho que teve para coordenar uma pesquisa de tal magnitude, envolvendo 334 programas de pós-graduação, em 41 instituições e em 12 municípios fluminenses diferentes. Quero, mais do que parabenizar, agradecer à professora pelo excelente trabalho que desenvolveu em prol da C&T fluminense”.

Marques celebra, ainda, o excelente percentual de participação dos programas na pesquisa. “Isso confirma a relevância desta iniciativa da FAPERJ e a sua importância no marco de uma política de flexibilização do modelo de pós-graduação e da busca de potencialidades de cooperação e de fortalecimento institucional advindas do melhor conhecimento sobre a diversidade da pós-graduação no estado do Rio de Janeiro. Esperamos que esta pesquisa possa contribuir para nortear o desenvolvimento de estratégias que subsidiem o apoio aos programas de pós-graduação stricto sensu em nosso Estado.”

Para conhecer o relatório e consultar os dados da pesquisa, através da página da FAPERJ (www.faperj.br) acesse a aba serviços ou http://www.faperj.br/servicos/buscaposgrad/pos_grad_RJ.phtml

Fonte: Faperj


Pós-Graduação em Gestão Patrimonial e Ambiental em Turismo da UnED Nova Friburgo: PRORROGADAS AS INSCRIÇÕES

Publicada em 29 de junho de 2009

A Gerência Acadêmica da UnED Nova Friburgo do CEFET/RJ comunica que foram prorrogadas as inscrições para seleção ao Curso de Pós-Graduação Lato Sensu em Gestão Patrimonial e Ambiental em Turismo a realizar-se nessa Unidade de Ensino.

São estas as NOVAS DATAS:

Inscrições até 10/07 (sexta-feira)
Homologação das inscrições: 14/07 (terça-feira)
Prova escrita: 27/07 (segunda-feira)
Resultado da prova escrita: 29/07 (quarta-feira)
Entrevista: 30/07 (quinta-feira)
Resultado final: 31/07 (sexta-feira)
Matrículas: 03 e 04/08 (segunda e terça-feira)
Início das aulas: 07/08 (sexta-feira)


Página 1 de 212